Em postagem no Instagram feita na noite de segunda, a prefeitura de Pelotas determinou a evacuação de 6 localidades próximas ao canal São Gonçalo devido ao risco de inundação. As regiões são: Colônia Z3, Doquinhas, Pontal da Barra, Rua Nova Prata, no Valverde e habitações próximas à ponte sobre o Canal São Gonçalo. O Alerta foi reforçado na manha desta terça-feira.

Até o momento o município possui três abrigos disponíveis:

Salão paroquial João Paulo II, Colônia Z3

Escola Estadual Edmar Fetter, na rua Cinco, 100

Ginásio da antiga AABB, agora da UFPel, na rua Alberto Rosa,580, Centro

As aulas em toda a rede municipal de ensino foram suspensas nesta terça-feira.

Na segunda-feira o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), utilizou de suas redes sociais para alertar sobre o aumento do nível da água na lagoa dos patos devido ao escoamento da água acumulada na região metropolitana. O volume da água vai descer pelo lago Guaíba em direção ao mar passando pela lagoa. Ele reforçou a importância de “acreditar nos alertas” para “reduzir os transtornos” causados pelas chuvas.

O Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) divulgou na segunda-feira um alerta de tempestade com grande perigo para a região Sul do Estado. De acordo com o informativo meteorológico, o volume da chuva pode superar 100 mm em 24 horas e os ventos podem chegar a 100 km/h.

Imagem de satélite captada às 10h30 da manhã desta terça-feira mostra um acúmulo de nuvens no extremo sul do Rio Grande do Sul:

Marinha envia hospital de campanha ao Rio Grande do Sul

A Marinha do Brasil (MB) enviou, nesta terça-feira, um hospital de campanha para o Rio Grande do Sul, a fim de atender a vítimas das chuvas que atingiram o estado. A unidade tem capacidade para até 40 leitos.

Os equipamentos foram levados em voo da Força Aérea Brasileira (FAB), que saiu no início desta tarde da Base Aérea do Galeão, no Rio de Janeiro, com destino a Canoas, no Rio Grande do Sul.

O navio aeródromo Atlântico também será encaminhado ao território gaúcho, com maquinários e materiais que serão utilizados em apoio humanitário à população do estado.

Junto com os equipamentos, estão sendo enviados profissionais de saúde da Unidade Médica Expedicionária da Marinha e 300 fuzileiros navais, que vão reforçar o efetivo do 5º Distrito Naval, em apoio a ações de defesa civil.

A Marinha está atuando nas regiões afetadas pelas chuvas desde o início dos trabalhos de resgate e auxílio à população, com embarcações e aeronaves.

Deixe seu Comentário